Marcadores

acessos (3) Acidentes (3) Anatomia (4) Articulações (4) Artralgia (1) Artrite (11) Artroscopia (1) Artrose (3) Atrofia muscular espinhal (1) Aula (1) Avaliação (3) Backhand (1) bioimpressora (1) Bursite (1) cartilage (1) Cartilagem (2) Cervical (2) Ciclistas (1) Cifose de Scheuermann (1) cinesiologia (2) cirurgia (1) claudicante (1) CMT (1) Cobb (1) Coluna Lombar (3) Coluna Toráxica (1) Coluna Vertebral (4) Corpo Humano (8) Cotovelo (2) criança (1) Crônica (1) Curiosidades (4) Dedo em Gatilho (3) Degenerativa (1) Descobertas (1) Diabetes (3) diabética (2) Diagnóstico (11) Dicionário (1) Diconário (1) Dissecação (1) Distensão (1) Doença (13) Dor (6) Dupuytren (1) Edital (1) Elliot Krane (1) esclerose múltipla (1) Escoliose (2) Espondilite (2) Espondilolistese (2) Espondilose (2) Estiloide (1) Estudo (2) Eventos (2) exame clínico (6) Exame físico (11) Exosesqueleto (1) Fêmur (1) Fibromialgia (1) Finkelstein (1) fixadores (1) flexores (1) Forehand (1) Fratura (6) Gessado (1) Glasgow (1) Gota (1) Hérnia de Disco (1) impressão 3D (1) Inflamação (1) Joelho (12) knee (5) Lasègue (1) Lesões (11) Lombalgia (1) Lombar (2) Manguito Rotador (1) Manual (1) mão (5) marcha anormal (1) Medicina (6) Médico-Paciente (2) Mellitus (1) membros inferiores (4) Membros Superiores (2) motor (1) Movimento (3) Mulher (1) Musculoesquelética (3) Músculos (2) Nervo (5) Neurológico (2) Neurônio (1) Ombro (5) órgãos (1) ortopedia (2) Ortopédico (3) Óssos (4) Osteoartrite (4) Osteocondrite dissecantes (1) Osteocondrose (1) osteomielite (2) Osteonecrose (1) osteoporose (2) Paralisia Cerebral (2) (7) pé torto congênito (1) Perna (3) Pérolas Clínicas (1) Perthes (1) Phallen (1) Poliartrite (2) Postura (1) Postura médica (1) Prognóstico (1) prótese (3) Psoríase (1) Quadril (2) questões resolvidas (2) Recém Nascido (1) Relação (1) Reumáticas (3) Reumatóide (3) RN (1) SBOT (2) Schober (1) Sensitivas (1) Tecnologia (3) tendão (2) tendinite (3) Tenossinovite (1) TEOT (1) Testes (13) Tornozelo (2) Tratamento (4) trauma (2) Trendelenburg (1) Trigger Finger (1) Tumores (1) Túnel do Carpo (2) Ulnar (1) Úmero (1) vídeo (8) Vila Olímpica (1)

domingo, 18 de dezembro de 2016

Lesões Ligamento do Joelho Parte II

Lesões do ligamento colateral


O joelho é a maior articulação sinovial do corpo e uma das mais complexas. Também é vital para o movimento.
Os ligamentos do joelho conectam o fêmur com os ossos de perna (tíbia e fíbula). Entorse ou ruptura ligamentar no joelho são lesões comuns na prática de esportes.
Atletas que praticam esportes de contato direto como o futebol ou futebol americano são mais suscetíveis de traumatisar os ligamentos colaterais.

Anatomia
Anatomia normal do joelho, vista frontal 

Três ossos se reúnem para formar a articulação do joelho: o fêmur, a tíbia e a patela. A patela situa-se na frente da articulação para fornecer alguma proteção.
Os ossos estão ligados entre si por ligamentos. Existem quatro ligamentos principais no joelho. Eles agem como cordas fortes para manter os ossos aproximados na posição anatômica, e, manter o joelho estável.
Ligamentos cruzados

Estes são encontrados dentro de sua articulação do joelho. Eles se cruzam para formar um "X" com o ligamento cruzado anterior na frente do ligamento cruzado posterior.
Os ligamentos cruzados controlam o movimento do joelho para frente e para trás.
Ligamentos colaterais

Estes são encontrados nas faces laterais do joelho. O ligamento colateral medial ou de "dentro" (LCM) conecta o fêmur à tíbia. O ligamento colateral lateral ou "de fora" (LCL) conecta o fêmur ao osso menor da perna (a fíbula). Os ligamentos colaterais controlam o movimento lateral do joelho e previnem um movimento anormal.
Descrição
Como a estabilidade do joelho depende apenas destes ligamentos e dos músculos adjacentes esta articulação pode ser facilmente traumatizada. Qualquer contato forte com o joelho ou uma contração muscular direta e intensa — tais como mudar de direção rapidamente durante a corrida — pode lesar o ligamento do joelho.
As "entorses" ligamentares são lesões classificadas em uma escala de gravidade.
Entorse de 1º grau.  o ligamento é levemente danificado em uma entorse de 1º grau. Ele é um pouco esticado, mas ainda permanece capaz de manter a articulação estável.
Entorse de 2 º grau. A entorse de 2º grau estira o ligamento, tornando-o frouxo. Isso muitas vezes é referido como uma ruptura parcial do ligamento.
Entorse de 3º grau. Este tipo de entorse é mais comumente referido como uma ruptura completa do ligamento. O ligamento é rompido em duas partes, e a articulação do joelho torna-se instável.
Rupturas completas do LCM  (à esquerda) e LCL (à direita). 

O LCM é traumatizado mais frequentemente do que o LCL. Devido à anatomia mais complexa na parte externa do joelho, se houver trauma do LCL, geralmente, também, haverá lesão em outras estruturas da articulação.
Causa
As lesões dos ligamentos colaterais geralmente são causadas por uma força que empurra o joelho lateralmente. Muitas vezes, trata-se de lesões por contatos diretos, mas nem sempre (por exempo, pressão de parachoque de automóvel encostando lateralmente na perna).
As rupturas do ligamento colateral medial ocorrem frequentemente na sequência de um golpe direto à parte externa do joelho. Isso empurra o joelho para dentro (em direção do joelho).
Golpes na face medial do joelho empurram esta articulação para fora e podem lesar o ligamento colateral lateral.
Sintomas
  • Dor  faces laterais do joelho. Se houver uma lesão do LCM, a dor é na parte interna do joelho; uma lesão do LCL pode causar dor na parte externa do joelho.
  • Edema no local da lesão.
  • Instabilidade — produz uma sensação de que seu joelho está frouxo.

Exame médico
Exame físico e história do paciente
Durante a primeira visita, o médico vai falar com o paciente sobre seus sintomas e seu histórico médico.
Durante o exame físico, o médico irá verificar todas as estruturas do joelho lesado e compará-las com seu joelho normal. A maioria das lesões ligamentares podem ser diagnosticadas com um minucioso exame físico do joelho.
Testes de imagem
Outros testes que podem ajudar o médico a confirmar seu diagnóstico incluem:
Raios-x. Embora não mostram qualquer lesão nos seus ligamentos colaterais, os raios-x pode mostrar se a lesão ligamentar está associada a algum trauma ósseo.
MRI. Este estudo produz melhores imagens dos tecidos moles, como os ligamentos colaterais.

Fonte:
Desenvolvido pela Sociedade Americana de Ortopedia para Medicina Esportiva.
Esta informação é fornecida como um serviço educacional e não se destina a servir como Conselho médico. Quem procura aconselhamento ortopédico ou assistência deve consultar um cirurgião ortopédico.



Nenhum comentário:

Postar um comentário