Marcadores

acessos (3) Acidentes (3) Anatomia (4) Articulações (4) Artralgia (1) Artrite (11) Artroscopia (1) Artrose (3) Atrofia muscular espinhal (1) Aula (1) Avaliação (3) Backhand (1) bioimpressora (1) Bursite (1) cartilage (1) Cartilagem (2) Cervical (2) Ciclistas (1) Cifose de Scheuermann (1) cinesiologia (2) cirurgia (1) claudicante (1) CMT (1) Cobb (1) Coluna Lombar (3) Coluna Toráxica (1) Coluna Vertebral (4) Corpo Humano (7) Cotovelo (2) criança (1) Crônica (1) Curiosidades (4) Dedo em Gatilho (3) Degenerativa (1) Descobertas (1) Diabetes (3) diabética (2) Diagnóstico (11) Dicionário (1) Diconário (1) Dissecação (1) Distensão (1) Doença (13) Dor (6) Dupuytren (1) Edital (1) Elliot Krane (1) esclerose múltipla (1) Escoliose (2) Espondilite (2) Espondilolistese (2) Espondilose (2) Estiloide (1) Estudo (2) Eventos (2) exame clínico (6) Exame físico (11) Exosesqueleto (1) Fêmur (1) Fibromialgia (1) Finkelstein (1) fixadores (1) flexores (1) Forehand (1) Fratura (6) Gessado (1) Glasgow (1) Gota (1) Hérnia de Disco (1) impressão 3D (1) Inflamação (1) Joelho (12) knee (5) Lasègue (1) Lesões (11) Lombalgia (1) Lombar (2) Manual (1) mão (5) marcha anormal (1) Medicina (6) Médico-Paciente (2) Mellitus (1) membros inferiores (4) Membros Superiores (2) motor (1) Movimento (3) Mulher (1) Musculoesquelética (3) Músculos (2) Nervo (5) Neurológico (2) Neurônio (1) Ombro (4) órgãos (1) ortopedia (2) Ortopédico (3) Óssos (4) Osteoartrite (4) Osteocondrite dissecantes (1) Osteocondrose (1) osteomielite (2) Osteonecrose (1) osteoporose (2) Paralisia Cerebral (2) (7) pé torto congênito (1) Perna (3) Pérolas Clínicas (1) Perthes (1) Poliartrite (2) Postura médica (1) Prognóstico (1) prótese (3) Psoríase (1) Quadril (2) questões resolvidas (2) Recém Nascido (1) Relação (1) Reumáticas (3) Reumatóide (3) RN (1) SBOT (2) Schober (1) Sensitivas (1) Tecnologia (2) tendão (2) tendinite (3) Tenossinovite (1) TEOT (1) Testes (11) Tornozelo (2) Tratamento (4) trauma (2) Trendelenburg (1) Trigger Finger (1) Tumores (1) Túnel do Carpo (2) Ulnar (1) Úmero (1) vídeo (7) Vila Olímpica (1)

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Funções Motoras

Avaliação Motora


  • Devemos avaliar a tonicidade muscular, a rigidez, trofismo e movimentos voluntários/involuntários.
  • Lesões do NMS (Liberação Piramidal): hipertonia, hiper-reflexia, hipertrofia, espasticidade, sinal de Babinski.
  • Sinal Piramidal Deficitário (Fase Aguda): Plegia/ Paresia, Hiperextensibilidade, Perda do Reflexo Cutâneo-Abdominal e Cremastérico.
  • Lesões do NMI: hipotonia, hipo / arreflexia, hipotrofia e fasciculações.
  • Observar inicialmente o paciente sentado e sua postura.
  • Sistematização da Avaliação dos Grupos Musculares:
    • 0 = não há contração muscular.
    • 1 = há apenas contração do músculo mas não movimento.
    • 2 = vence por pouco tempo a gravidade.
    • 3 = sustenta o músculo contraído contra a gravidade mas não vence resistência.
    • 4 = vence pequena resistência.
    • 5 = músculo normal.
  • Realizar Teste de Manutenção de Postura:
    • Mingazzini para MMSS (manobra dos braços estendidos) e para MMII.
    • Manobra de Barré.
    • Sinal de Raimiste: antebraço fletido a 90º - queda do punho: “mão em gota”
* Hemiparesia Completa: hemicorpo + Face
* Hemiparesia Incompleta: hemicorpo – Face
* Hemiparesia Alterna: hemicorpo + algum comprometimento de pares cranianos contralateral = lesão no tronco encefálico.
* Hemiparesia Proporcional ou Desproporcional: comparar MMSS vs. MMII
* Tetraparesia: perda de força nos 4 membros.
* Paraparesia: perda de força em 2 membros simétricos – Braquial ou Crural. A paraparesia é pior distalmente, típica de lesões após colisão traseira de automóvel – MMSS recupera-se mais lentamente que os MMII = Síndrome de Schneider.
* Parestesia: perda da sensibilidade.
* Plegia: perda total dos movimentos.

  • Síndrome de Weber
    • Lesão no pé do pedúnculo cerebral (lesão do III par).
    • Hemiplegia completa contralateral.
  • Síndrome de Foville Peduncular
    • Hemiplegia completa contralateral à lesão.
    • Paralisia do olhar conjugado para o lado da lesão.
  • Síndrome de Benedikt
    • Lesão do núcleo rubro (calota peduncular).
    • Hemiataxia, hemitremor, hemianestesia e hemiparesia contralateral à lesão.
    • Paralisia do III par no mesmo lado.
A:Foville Peduncular (doente não pode contemplar sua hemiplegia);
B: Foville Protuberancial Superior (paciente contempla sua hemiplegia completamente)
C: Foville Protuberancial Inferior (paciente contempla sua lesão parcialmente)

Manobra dos Braços Estendidos 2 minutos

Lesão do Nervo Radial Esquerdo: Mão Caída



Manobra de Mingazzini 2 minutos

Manobra de Barré

Manobra da Queda do MMII em Abdução

·         Tônus Muscular: avaliado pela palpação, percussão, movimentação passiva e balanço passivo das articulações.
o    Hipotônico
§  Lesão Cerebelar
§  Lesão de Nervo Periférico
§  Lesão Medular.
o    Normotônico
o    Hipertônico
§  Lesão Piramidal:
§  Espasticidade Elástica = Sinal do Canivete
§  Lesão Extrapiramidal:
§  Espasticidade Plástica = Parkinsonismo (Sinal da Roda Dentada)

  • Avaliamos os diversos grupos musculares:
    • M. Deltóide e sua raíz de C5

  • Teste do Pronador: paciente deverá sustentá-lo por pelo menos 10` com os olhos fechados.
  • Indica lesão no NMS.


  • Teste do Bíceps: através dessa manobra observamos o nervo musculocutâneo e sua raíz C5 e C6.


  • Extensores do punho: verifica raízes de C6 e C7.

  • Avaliação do Músculo Tenar e Hipotenar: raíz de C8, nervo mediano.

  • Abdução dos dedos: nervo ulnar, raíz de T1.

  • Oposição do polegar: nervo mediano, raíz de C8 e T1.


  • Teste do músculo íliopsoas: pede-se para o paciente levantar a perna contra resistência. Checagem do nervo femoral e raízes de L2-L3.


  • Teste de adução das pernas: verifica-se as raízes L2, L3 e L4.

  • Teste de Abdução das pernas: avaliação do músculo glúteo máximo e glúteo mínimo – raízes de L4, L5 e S1.


  • Avaliação do Glúteo Máximo: pede-se ao paciente que pressione sua perna contra a mão do examinador. Teste das raízes de L4 e L5, nervo glúteo.


  • Teste do Quadríceps Femoral: apoiamos a mão sob o joelho e pede-se para que o paciente faça o movimento de chutar. O M. Quadríceps é inervado pelo nervo femoral – raízes de L3 e L4.

  • Teste do Nervo Ciático: pedir ao paciente que puxe a perna contra sua mão. Teste das raízes de L5 e S1.


  • Dorsoflexão: inervada pelo nervo peroneal nas raízes de L4 e L5.


  • Teste do Músculo Sóleo e Gastrocnêmio: inervada pelo nervo tibial nas raízes de S1 e S2.

  • Teste para o músculo extensor longo do hálux: inervado por raízes de L5.


·         Sinais Radiculares:
o    Sinal de Laségue: não deve haver dor com elevações até 30º.
o    Sinal de Gowers: característico da distrofia muscular de Duchenne.
o    Sinal de Naffziger
o    Sinal de Lhermitte
o    Sinal de Patrick (contra-prova): diferencia lesões nervosas de ortopédicas.
o    Sinal de Schober: sugestiva de espondilite anquilosante.
o    Sinal de Phalen: sugestivo de síndrome do túnel do carpo.
o    Sinal de Froment: sugestivo de síndrome do canal de Guyon.
o    Sinal de Tinel: sugestivo de síndrome do túnel do carpo.
o    Prece Maometana


Manobra de Phalen
Prece Maometana

Manobra de Tinel

·  Sinal de Naffziger: As veias jugulares são comprimidas de ambos os lados por aproximadamente 10 segundos, enquanto o paciente permanece na posição supina. A face do paciente fica ruborizado e é pedido para o paciente tossir. O aparecimento de dor na região lombar causado pela tosse, indica a presença de aumento da pressão intratecal.


  • Teste de Schober


·   Manobra de Valsalva: com o paciente na posição sentada é solicitado a realização de expiração forçada com a boca fechada e esforço semelhante ao ato de evacuar. O aparecimento ou agravamento da dor indica aumento da pressão intratecal.


Nenhum comentário:

Postar um comentário