Marcadores

acessos (3) Acidentes (3) Anatomia (4) Articulações (4) Artralgia (1) Artrite (11) Artroscopia (1) Artrose (3) Atrofia muscular espinhal (1) Aula (1) Avaliação (3) Backhand (1) bioimpressora (1) Bursite (1) cartilage (1) Cartilagem (2) Cervical (2) Ciclistas (1) Cifose de Scheuermann (1) cinesiologia (2) cirurgia (1) claudicante (1) CMT (1) Cobb (1) Coluna Lombar (3) Coluna Toráxica (1) Coluna Vertebral (4) Corpo Humano (7) Cotovelo (2) criança (1) Crônica (1) Curiosidades (4) Dedo em Gatilho (3) Degenerativa (1) Descobertas (1) Diabetes (3) diabética (2) Diagnóstico (11) Dicionário (1) Diconário (1) Dissecação (1) Distensão (1) Doença (13) Dor (6) Dupuytren (1) Edital (1) Elliot Krane (1) esclerose múltipla (1) Escoliose (2) Espondilite (2) Espondilolistese (2) Espondilose (2) Estiloide (1) Estudo (2) Eventos (2) exame clínico (6) Exame físico (11) Exosesqueleto (1) Fêmur (1) Fibromialgia (1) Finkelstein (1) fixadores (1) flexores (1) Forehand (1) Fratura (6) Gessado (1) Glasgow (1) Gota (1) Hérnia de Disco (1) impressão 3D (1) Inflamação (1) Joelho (12) knee (5) Lasègue (1) Lesões (11) Lombalgia (1) Lombar (2) Manual (1) mão (5) marcha anormal (1) Medicina (6) Médico-Paciente (2) Mellitus (1) membros inferiores (4) Membros Superiores (2) motor (1) Movimento (3) Mulher (1) Musculoesquelética (3) Músculos (2) Nervo (5) Neurológico (2) Neurônio (1) Ombro (4) órgãos (1) ortopedia (2) Ortopédico (3) Óssos (4) Osteoartrite (4) Osteocondrite dissecantes (1) Osteocondrose (1) osteomielite (2) Osteonecrose (1) osteoporose (2) Paralisia Cerebral (2) (7) pé torto congênito (1) Perna (3) Pérolas Clínicas (1) Perthes (1) Poliartrite (2) Postura médica (1) Prognóstico (1) prótese (3) Psoríase (1) Quadril (2) questões resolvidas (2) Recém Nascido (1) Relação (1) Reumáticas (3) Reumatóide (3) RN (1) SBOT (2) Schober (1) Sensitivas (1) Tecnologia (2) tendão (2) tendinite (3) Tenossinovite (1) TEOT (1) Testes (11) Tornozelo (2) Tratamento (4) trauma (2) Trendelenburg (1) Trigger Finger (1) Tumores (1) Túnel do Carpo (2) Ulnar (1) Úmero (1) vídeo (7) Vila Olímpica (1)

domingo, 11 de setembro de 2016

ARTROSE - OSTEOARTRITE : Perguntas e respostas

1.      O que é artrose (osteoartrite)?

Artrose (osteoartrite) é uma desordem não-inflamatória das articulações móveis, caracterizada pela deterioração da cartilagem articular e pela neoformação óssea na superfícies e margens articulares. Esta desordem também é conhecida como doença articular degenerativa.

2.      O que são osteófitos? Como é que eles se formam?

Os osteófitos, uma das principais características da artrose, são excrescências, habitualmente marginais, de cartilagem ossificada. Por causa da vascularização do osso subcondral, ocorre à proliferação da cartilagem adjacente e ossificação endocondral. As excrescências estendem-se do espaço articular livre ao longo do caminho onde houver menor resistência.

3.      Descreva as anormalidades patológicas da artrose em correlação com as anormalidades radiográficas.

·         Erosão da cartilagem – perda do espaço articular
·         Celularidade aumentada e deposição óssea de osso subcondral – eburneação óssea
·         Intrusdão do fluido sinovial para dentro do osso – cistos subcondrais
·         Revascularização da cartilagem remanescente e tração caspsular – osteófitos
·         Estimulação da membrana sinovial – osteófistos
·         Compressão do osso enfraquecido – colapso do osso
·         Fragmentação da superfície osteocondral – corpos livres
·         Destruiçõa e distorção dos ligamentos capsulares – deformidade e mal-alinhamento.

4.      Descreva os sintomas dos pacientes com artrose (osteoartritre).

O sintoma principal da artrose é a dor, que ocorre primeiro só com o uso articular e p movimento, mas mais tarde é aliviada somente pelo repouso. A dor é habitualmente de caráter contínuo e mal localizada. Em estágios severos da doença, a dor pode despertar o paciente por causa da imobilização propiciada pela própria massa muscular protetora, que ocorre durante as horas de vigília, limitando o movimento doloroso. A dor pode ocorrer com movimentos mínimos ou mesmo em repouso. Os espasmos musculares ao redor da articulação, frequentemente descritos como agulhadas, podem-se somas à dor. A maioria dos pacientes afetados tomam drogas anti-inflamatórias não-esteróides (AINEs) ou analgésicos para alívio dos sintomas.

É comum a rigidez ao despertar na manhã e após períodos de inatividade durante o dia. Uma vez que a articulação “se aquece”, os pacientes se sentem melhor. Se o paciente sentar por qualquer duração de tempo, a dor pode-se desenvolver após o reinício da atividade. O paciente deve “afrouxar” a articulação. Se estiverem presentes corpos livres ou rupturas meniscais, os pacientes podem queixar-se de episódios de falseio ou bloqueios articulares. Tipicamente existe alguma limitação de movimento, com frequência envolvendo a perda da extensão e da flexão. No quadril, os pacientes em geral mantem 90° de flexão, mas perdem a maioria da abdução, bem como as rotações interna e externa. No joelho, a maioria dos pacientes desenvolve uma contratura em flexão, habitualmente leve. A perda da dorsiflexão do tornozelo pode ocorrer, junto com as contraturas em flexão nas articulações interfalângicas proximal e distal.
Os pacientes podem descrever crepitação, que geralmente ocorre com qualquer amplitude de movimento articular. A crepitação pode estar associada com dor, e geralmente significa o atrito de osso sobre osso na artrite degenerativa.

5.      Quais são os sinais clínicos dos pacientes com artrose?

A maioria dos pacientes tem dolorimento localizado, geralmente na área de alterações degenerativas mais significativas. Os pacientes podem ter osteófitos palpáveis. Pode ocorrer crepitação à mobilidade. A amplitude de movimentos gerais está diminuída em comparação com a extremidade normal. A proliferação sinovial, se presente, não é tão severa quanto a da artrite reumatoide (pannus articular da AR). O derrame é geralmente mínimo. Um derrame aumentado é comum após episódios de leve torção ou falseio.

6.      Descreva as principais complicações da doença articular degenerativa.

·         Com a perda do espaço articular, pode ocorrer a angulação da extremidade afetada. Com o colapso completo do lado interno ou externo de uma das arti-culações, como do joelho, ocorre a deformidade.
·         Subluxação, como a vista na articulação carpometacarpal do polegar.
·         Anquilose ou susão óssea completa de uma articulação, como na metatarsofalângica do hálux.
·         Corpos livres intra-articulares ou ratos articulares relacionados a frat5uras subcondrais.

7.      Discuta os achados da coxartrose?

A coxartrose causa estreitamento do espaço articular, que é melhor visto em uma incidência  radiológica em AP da pelve. Os osteófitos ocorrem inferior e superiormente no acetábulo. Podem ser encontrados osteófitos na superfície superior e inferior da cabeça femoral. São comumente vistos corpos livres. Também podem ser vistos a esclerose do osso subjacente com áreas císticas adjacentes na cabeça, colo e área acetabular da articulação.

8.      Descreva os achados clínicos radiológicos na gonartrose (artrose do joelho).

Qualquer um dos três compartimentos do joelho – medial, lateral ou patelofemoral – pode estar envolvido. O colapso completo do espaço articular lateral coloca o joelho do paciente em uma posição de valgo. No compartimento medial, o colapso articular completo causa uma posição em varo. Podem ocorrer osteófitos medial e lateralmente, ou ao longo da articulação patelofemoral. Com frequência são identificados corpos livres na região da crista intercon dilar e nas porções posteriores dos espaços articulares medial e lateral. São comuns os cistos subcondrais e a esclerose óssea da articulação afetada




Nenhum comentário:

Postar um comentário