Marcadores

acessos (3) Acidentes (3) Anatomia (4) Articulações (4) Artralgia (1) Artrite (11) Artroscopia (1) Artrose (3) Atrofia muscular espinhal (1) Aula (1) Avaliação (3) Backhand (1) bioimpressora (1) Bursite (1) cartilage (1) Cartilagem (2) Cervical (2) Ciclistas (1) Cifose de Scheuermann (1) cinesiologia (2) cirurgia (1) claudicante (1) CMT (1) Cobb (1) Coluna Lombar (3) Coluna Toráxica (1) Coluna Vertebral (4) Corpo Humano (7) Cotovelo (2) criança (1) Crônica (1) Curiosidades (4) Dedo em Gatilho (3) Degenerativa (1) Descobertas (1) Diabetes (3) diabética (2) Diagnóstico (11) Dicionário (1) Diconário (1) Dissecação (1) Distensão (1) Doença (13) Dor (6) Dupuytren (1) Edital (1) Elliot Krane (1) esclerose múltipla (1) Escoliose (2) Espondilite (2) Espondilolistese (2) Espondilose (2) Estiloide (1) Estudo (2) Eventos (2) exame clínico (6) Exame físico (11) Exosesqueleto (1) Fêmur (1) Fibromialgia (1) Finkelstein (1) fixadores (1) flexores (1) Forehand (1) Fratura (6) Gessado (1) Glasgow (1) Gota (1) Hérnia de Disco (1) impressão 3D (1) Inflamação (1) Joelho (12) knee (5) Lasègue (1) Lesões (11) Lombalgia (1) Lombar (2) Manual (1) mão (5) marcha anormal (1) Medicina (6) Médico-Paciente (2) Mellitus (1) membros inferiores (4) Membros Superiores (2) motor (1) Movimento (3) Mulher (1) Musculoesquelética (3) Músculos (2) Nervo (5) Neurológico (2) Neurônio (1) Ombro (4) órgãos (1) ortopedia (2) Ortopédico (3) Óssos (4) Osteoartrite (4) Osteocondrite dissecantes (1) Osteocondrose (1) osteomielite (2) Osteonecrose (1) osteoporose (2) Paralisia Cerebral (2) (7) pé torto congênito (1) Perna (3) Pérolas Clínicas (1) Perthes (1) Poliartrite (2) Postura médica (1) Prognóstico (1) prótese (3) Psoríase (1) Quadril (2) questões resolvidas (2) Recém Nascido (1) Relação (1) Reumáticas (3) Reumatóide (3) RN (1) SBOT (2) Schober (1) Sensitivas (1) Tecnologia (2) tendão (2) tendinite (3) Tenossinovite (1) TEOT (1) Testes (11) Tornozelo (2) Tratamento (4) trauma (2) Trendelenburg (1) Trigger Finger (1) Tumores (1) Túnel do Carpo (2) Ulnar (1) Úmero (1) vídeo (7) Vila Olímpica (1)

terça-feira, 7 de junho de 2016

“FAZER” E “NÃO FAZER” NO CUIDADO DOS PÉS

Instruções para os Pacientes Diabéticos: Fazer e Não Fazer

Fazer
  • Use seus olhos para verificar problemas quando a sensibilidade for perdida nos pés.
  • Se sua visão estiver alterada, obtenha ajuda da família.
  • Verifique diariamente seus pés buscando bolhas, cortes, arranhões e problemas nas unhas. Use um espelho para ver a planta dos pés.
  • Verifique diariamente seus calçados buscando objetos estranhos e pontos ásperos que possam causar calos.
  • Lave os pés diariamente. Se você tem pele seca, use uma pequena quantidade de loção que contenha lanolina nas superfícies dos pés. Mantenha a pele seca nos espaços interdigitais, principalmente após os banhos.



  • Certifique-se de que os calçados e as meias não apertem os pés. Os sapatos devem ter espaço maior na ponta, e material superior macio que possa “respirar”.
  • Varie os sapatos, e não use sapatos novos mais que algumas horas por dia.
  • Se você tem problemas para achar calçados apropriados, pergunte sobre sapatos acomodativos ou sob prescrição. Diga ao vendedor de calçados que você é diabético.
  • Existem calçados diabéticos para vender.                                                       
  • Tenha certeza que seu médico verifica seus pés em cada consulta.



Não Fazer
  •  Não caminhe descalço. Você pode machucar seu pé em objetos afiados ou superfícies ásperas sem saber.
  • Não esquente seus pés. Você pode causar uma queimadura. Não faça escalda-pés.
  • Não use um cobertor térmico.
  • Use meias para manter os pés aquecidos à noite.
  • Não use substâncias químicas ou instrumentos afiados para retirar calosidades.
  • Pequenos cortes e bolhas tornar-se-ão infectados.
  • Não cortar nos cantos ao aparar as unhas. Cortá-las retas nas pontas (sem arredondar nos cantos).Use algodão para manter a pele afastada das unhas (unhas encravadas).
  • Não fume! O tabaco altera a circulação do pé. Os diabéticos não devem ser candidatos à revascularização periférica, porque a doença afeta os vasos menores. Entretanto, todos os diabéticos devem ser avaliados para possível revascularização de vasos maiores, para melhorar a perfusão geral à extremidade, que auxilia na cicatrização das úlceras neuropáticas diabéticas.

2 comentários:

  1. Muito bom!! A população em geral não tem informação sobre os cuidados adequados para os pés!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado! Continue visitando o blog para mais postagens. Abraços :)

      Excluir