Marcadores

acessos (4) Acidentes (3) Anatomia (4) Articulações (4) Artralgia (1) Artrite (11) Artroscopia (1) Artrose (3) Atrofia muscular espinhal (1) Aula (1) Avaliação (3) Backhand (1) bioimpressora (1) Bursite (1) cartilage (1) Cartilagem (2) Cervical (2) Ciclistas (1) Cifose de Scheuermann (1) cinesiologia (2) cirurgia (2) claudicante (1) CMT (1) Cobb (1) Coluna Lombar (3) Coluna Toráxica (1) Coluna Vertebral (4) Corpo Humano (8) Cotovelo (2) criança (1) Crônica (1) Curiosidades (4) Dedo em Gatilho (3) Degenerativa (1) Descobertas (1) Diabetes (3) diabética (2) Diagnóstico (12) Dicionário (1) Diconário (1) Dissecação (1) Distensão (1) Doença (13) Dor (6) Dupuytren (1) Edital (1) Elliot Krane (1) esclerose múltipla (1) Escoliose (2) Espondilite (2) Espondilolistese (2) Espondilose (2) Estiloide (1) Estudo (2) Eventos (2) exame clínico (7) Exame físico (12) Exosesqueleto (1) Fêmur (1) Fibromialgia (1) Finkelstein (1) fixadores (1) flexores (1) Forehand (1) Fratura (7) Gessado (1) Glasgow (1) Gota (1) Hérnia de Disco (1) impressão 3D (1) Inflamação (1) Joelho (12) knee (5) Lasègue (1) Lesões (11) Lombalgia (1) Lombar (2) Manguito Rotador (1) Manual (1) mão (5) marcha anormal (1) Medicina (6) Médico-Paciente (2) Mellitus (1) membros inferiores (4) Membros Superiores (2) motor (1) Movimento (3) Mulher (1) Musculoesquelética (3) Músculos (2) Nervo (5) Neurológico (2) Neurônio (1) Ombro (6) órgãos (1) ortopedia (2) Ortopédico (3) Óssos (4) Osteoartrite (4) Osteocondrite dissecantes (1) Osteocondrose (1) osteomielite (2) Osteonecrose (1) osteoporose (2) Paralisia Cerebral (2) (7) pé torto congênito (1) Perna (3) Pérolas Clínicas (1) Perthes (1) Phallen (1) Poliartrite (2) Postura (1) Postura médica (1) Prognóstico (1) prótese (3) Psoríase (1) Quadril (2) questões resolvidas (2) Recém Nascido (1) Relação (1) Reumáticas (3) Reumatóide (3) RN (1) SBOT (2) Schober (1) Sensitivas (1) Tecnologia (3) tendão (2) tendinite (3) Tenossinovite (1) TEOT (1) Testes (14) Tornozelo (2) Tratamento (4) trauma (2) Trendelenburg (1) Trigger Finger (1) Tumores (1) Túnel do Carpo (2) Ulnar (1) Úmero (1) vídeo (8) Vila Olímpica (1)

quinta-feira, 9 de junho de 2016

Exame Físico do Joelho – Pérolas Clínicas




  • O joelho é uma articulação incomum porque contém ligamentos profundos dentro da articulação.
  • Há também os meniscos lateral e medial que podem ser danificados.

  • Finalmente, os movimentos normais do joelho são muito complexos, incluindo dois planos de rotação. É muito comum ver lesões múltiplas e complexas.
  • Há pouca congruência entre as superfícies da tíbia e do fêmur. Como resultado, há um sistema bem desenvolvido de ligamentos para estabilidade e um arranjo de meniscos intra-articulares que reduzem a carga de contato entre o fêmur e a tíbia.
  • A expressão “desarranjo interno do joelho” é um diagnóstico provisório comum para qualquer paciente com sintomas do joelho. Deve ser evitado o uso dessa expressão . Deve-se buscar o diagnóstico correto.
  • O examinador deve observar a presença de genu recurvatum e a posição da patela em relação aos côndilos femorais.
  • Uma patela alta é um fator predisponente à luxação lateral recorrente da patela.

  • A luxação recorrente da patela é também mais comum em mulheres portadoras de genu valgum.

  • Lesões do menisco são o mais comum desarranjo interno do joelho. Embora os meniscos sejam danificados por trauma, o incidente é muitas vezes tão banal que o paciente não é capaz de se lembrar da ocorrência de qualquer  traumatismo.
  • Em virtude disso, pacientes com lesões meniscais nem sempre são vistos em salas de emergência.
  • Os meniscos são partes importantes do mecanismo de sustentação de carga do joelho porque eles absorvem o impulso que é aplicado  sobre os côndilos femorais convexos.

  • Os meniscos são tão eficientes que se eles forem removidos, a força tomada pela cartilagem articular durante carga máxima aumenta cerca de cinco vezes.
  • Portanto, uma meniscectomia expõe a cartilagem articular a forças muito maiores que o normal. Evidência de artrose é constatada em 75% dos pacientes dez anos depois de uma meniscectomia total.
  • Ao examinar a patela, o examinador deve observar qualquer dor à palpação sobre a superfície anterior e se uma crista bipartida está presente. Dor à palpação no pólo superior e inferior da patela ocorre na doença de Sinding-Larsen-Johannson e no joelho do saltador (uma lesão de tração do aparelho extensor).

  • Uma tíbia que já está desviada para trás, como resultado de uma ruptura do ligamento cruzado posterior, pode dar um resultado falso-positivo quando o examinador está testando o ligamento cruzado anterior. Esse teste falso-positivo também pode ocorrer com o teste de Lachman.

  • O músculo quadríceps ganha inserção na tíbia por meio da intermediação da patela, que está contida dentro da expansão do quadríceps e do tendão patelar. Ruptura completa pode ocorrer com uma separação através da patela.
  • Esta área é o local usual de ruptura em uma variedade comum de patela fraturada.

  • A lesão ocorre principalmente em adultos de meia-idade.
  • A colocação da palma da mão dobre a patela e dos dedos polegar e indicador ao longo da linha articular, à medida que a articulação é flexionada e estendida, distinguirá a fonte de crepitação a partir das superfícies articulares danificadas.
  • Quando ambos os compartimentos medial e lateral ou ambos os compartimentos anterior e posterior, bem como o medial e o lateral, são rompidos, existe instabilidade complexa combinada. Luxação, ou pelo menos subluxação transitória do joelho, constitui um sintoma preliminar. Em muitos casos, o nervo fibular poderá ter sido lesado.
  • Normalmente, o centro de rotação do joelho muda constantemente por meio da sua amplitude de movimento como resultado da forma dos côndilos femorais,da restrição ligamentar e da tração muscular.
  • Um teste positivo de “pivot shift” ou mudança do eixo geralmente sugere lesão do ligamento cruzado anterior, da cápsula posterior ou do ligamento colateral lateral.

  • Se estiver presente instabilidade rotatória, então à medida que a extensão completa for alcançada, um ressalto dramático ocorrerá quando o côndilo tibial lateral subluxar para frente. O paciente deve relacionar isso às sensações experimentadas durante a atividade.
  • O examinador deve observar quanto à presença de dor à palpação da interlinha articular, e, testar quanto a um bloqueio semelhante a uma mola à extensão completa do joelho. Esses dois sinais, em associação com evidência de atrofia do quadríceps, são os sinais mais constantes e confiáveis de um menisco lacerado.
  • Os pacientes com corpos livres intra-articulares apresentam uma descrição clássica de um fragmento solto no joelho e geralmente serão capazes de descrever seu tamanho e sua forma.
  • Os corpos livres são às vezes chamados ratos articulares, o que é uma descrição apropriada porque esses corpos soltos podem ser reconhecidos instantaneamente, mas desaparecem e pode ser impossível encontra-los novamente.
  • Corpos livres não devem ser chamados corpos estranhos.
  • Corpos estranhos, incluindo projéteis de arma de fogo, pedaços de pedras e areia, vêm de fora do corpo e são raros nas articulações.




Fonte: - Evans, R.C.; Illustrated Orthopedic Physical Assesment – Second Edition – Mosby, Inc. – 2003

Convido o leitor a aumentar os conhecimentos sobre o tema apresentado, acessando o Módulo 18 – Joelhos e Pernas do Livro Eletrônico Ilustrado de Semiologia Ortopédica existente nesse Blog.

Nenhum comentário:

Postar um comentário