Marcadores

acessos (3) Acidentes (3) Anatomia (4) Articulações (4) Artralgia (1) Artrite (11) Artroscopia (1) Artrose (3) Atrofia muscular espinhal (1) Aula (1) Avaliação (3) Backhand (1) bioimpressora (1) Bursite (1) cartilage (1) Cartilagem (2) Cervical (2) Ciclistas (1) Cifose de Scheuermann (1) cinesiologia (2) cirurgia (1) claudicante (1) CMT (1) Cobb (1) Coluna Lombar (3) Coluna Toráxica (1) Coluna Vertebral (4) Corpo Humano (7) Cotovelo (2) criança (1) Crônica (1) Curiosidades (4) Dedo em Gatilho (3) Degenerativa (1) Descobertas (1) Diabetes (3) diabética (2) Diagnóstico (11) Dicionário (1) Diconário (1) Dissecação (1) Distensão (1) Doença (13) Dor (6) Dupuytren (1) Edital (1) Elliot Krane (1) esclerose múltipla (1) Escoliose (2) Espondilite (2) Espondilolistese (2) Espondilose (2) Estiloide (1) Estudo (2) Eventos (2) exame clínico (6) Exame físico (11) Exosesqueleto (1) Fêmur (1) Fibromialgia (1) Finkelstein (1) fixadores (1) flexores (1) Forehand (1) Fratura (6) Gessado (1) Glasgow (1) Gota (1) Hérnia de Disco (1) impressão 3D (1) Inflamação (1) Joelho (12) knee (5) Lasègue (1) Lesões (11) Lombalgia (1) Lombar (2) Manual (1) mão (5) marcha anormal (1) Medicina (6) Médico-Paciente (2) Mellitus (1) membros inferiores (4) Membros Superiores (2) motor (1) Movimento (3) Mulher (1) Musculoesquelética (3) Músculos (2) Nervo (5) Neurológico (2) Neurônio (1) Ombro (4) órgãos (1) ortopedia (2) Ortopédico (3) Óssos (4) Osteoartrite (4) Osteocondrite dissecantes (1) Osteocondrose (1) osteomielite (2) Osteonecrose (1) osteoporose (2) Paralisia Cerebral (2) (7) pé torto congênito (1) Perna (3) Pérolas Clínicas (1) Perthes (1) Poliartrite (2) Postura médica (1) Prognóstico (1) prótese (3) Psoríase (1) Quadril (2) questões resolvidas (2) Recém Nascido (1) Relação (1) Reumáticas (3) Reumatóide (3) RN (1) SBOT (2) Schober (1) Sensitivas (1) Tecnologia (2) tendão (2) tendinite (3) Tenossinovite (1) TEOT (1) Testes (11) Tornozelo (2) Tratamento (4) trauma (2) Trendelenburg (1) Trigger Finger (1) Tumores (1) Túnel do Carpo (2) Ulnar (1) Úmero (1) vídeo (7) Vila Olímpica (1)

sexta-feira, 6 de maio de 2016

Lombalgia LBP (Low Back Pain)

Quase todo mundo vai vivenciar dor lombar em algum momento de sua vida. Esta dor pode variar de leve a grave e pode ser de curta ou longa duração. No entanto, a dor nas costas pode impedir a realização de muitas atividades diárias.

Anatomia


Compreender a sua coluna vertebral e como ela funciona pode ajudar a entender a “dor nas costas”.
Sua coluna é formada por pequenos ossos chamados vértebras, que estão localizadas uma em cima da outra. Os músculos, ligamentos, nervos e discos intervertebrais são peças adicionais de sua coluna.



Vértebras



As vértebras estão ligadas para criar um tubo (canal vertebral) que protege a medula espinhal. A coluna vertebral é dividida em três seções que criam três curvas naturais no seu comprimento: a curva do pescoço (cervical), a curva da região do peito (tórax), e a curva da cintura (lombar). A secção mais baixa da coluna (sacro e cóccix) é composta de vértebras fundidas.
Cinco vértebras lombares ligam o topo da coluna com a pélvis.

Medula espinhal e nervos

Estes "cabos elétricos"(nervos) viajam através do canal espinhal levando mensagens entre o cérebro e os músculos. Os nervos da medula espinal se estendem através das aberturas nas vértebras (forames vertebrais).

Músculos e ligamentos

Eles fornecem suporte e estabilidade para a coluna e para a parte superior do corpo. Ligamentos fortes conectam as vértebras e ajudam a manter a coluna na posição correta.

Articulações da faceta

Entre cada vértebra existem pequenas articulações que trabalham no movimento da sua coluna.

Os discos intervertebrais

Estes são colocados entre as vértebras.
Quando você caminha ou corre, estes discos absorvem impactos e evitam que as vértebras esbarrem uma contra a outra. Os discos trabalham com as articulações da faceta e ajudam sua coluna a se mover, dobrar e rotar (torcer).
Os discos intervertebrais são planos, redondos, e medem uma polegada de espessura. Eles são constituídos por dois componentes.
Um Núcleo Gelatinoso e Um Anel Fibroso. Este é o anel externo do disco é flexível e resistente. Ele ajuda a ligar as vértebras.

Núcleo pulposo


O Núcleo Pulposo gelatinoso e macio está no centro do disco. Possui a habilidade de absorver os impactos.

Disco intervertebral saudável (seção transversal)

Descrição

A dor lombar difere de uma pessoa para outra. A dor pode ter um início gradual ou súbito, pode ser intermitente ou constante. Na maioria dos casos, a dor lombar desaparece dentro de algumas semanas.

Causa
Existem muitas causas de dor lombar. Às vezes, acontece depois de um movimento específico, como levantar-se ou dobrar a espinha. A idade faz aparecer muitos problemas na coluna (nas costas).

À medida que envelhecemos, a passagem do tempo provoca alterações degenerativas na coluna. Estas mudanças podem começar aos 30 anos - ou antes, e pode nos tornar propensos à dor nas costas, especialmente, se exceder o limite de nossas atividades.
Estas alterações do envelhecimento, no entanto, não impedem que as pessoas tenham vidas produtivas e geralmente indolores. 




Uma das causas mais comuns de dor lombar é a hiperatividade muscular.
As fibras dos músculos e dos ligamentos estão sobrecarregadas ou traumatisadas.
Isso, geralmente, acontece em torno do primeiro jogo de futebol ou de golfe da temporada, ou após muito trabalho no jardim, ou cavando para retirar a neve durante um dia. Todo mundo está familiarizado com essa "rigidez" e desconforto na cintura - e em outras áreas do corpo – e essa rigidez e desconforto, geralmente, desaparecem dentro de alguns dias.

Lesões de disco

Algumas pessoas desenvolvem dor nas costas que permanece por alguns dias. Isto pode significar que existe uma lesão no disco.

Ruptura discal
Por vezes, com a idade pequenos rupturas podem ocorrer na parte exterior do disco (no anel fibroso, formado por fibras colágenas). Algumas pessoas com essas rupturas não sentem qualquer dor. Outras podem sentir dor durante semanas, meses e até mais. Um pequeno grupo de pessoas pode desenvolver dor constante que dura anos e é bastante incapacitante. Ainda não está bem entendido por que algumas pessoas sentem dor e outras não.
A hérnia de disco. Outro tipo comum de lesão discal é uma hérnia de disco.

Hérnia de disco


A herniação gelatinosa do disco parte do seu centro (core) e empurra o anel exterior (annulus). Se o disco estiver desgastado ou danificado, o núcleo pode empurrá-lo para fora completamente. Quando a hérnia de discos e projeta para dentro do canal espinhal, os nervos espinhais são apertados e causam dor.

Uma vez que um disco lombar geralmente exerce pressão sobre a raiz nervosa a dor desloca-se para a perna até o pé. Frequentemente sente-se dor nas nádegas ou na parte inferior (abaixo do joelho) da perna. Isso é chamado de ciática.
A hérnia de disco ocorre com freqüência nos movimentos de levantar, puxar, inclinar ou rotar.

A degeneração do disco

Com a idade, os discos intervertebrais começam a diminuir e desgastar (a coluna perde altura). Em alguns casos, eles podem entrar em colapso completo e fazer com que as articulações da coluna vertebral, com o atrito, produzam dor e rigidez.
Este "desgaste" das articulações é chamado de artrose ou osteoartrite. Ela pode levar no futuro a problemas nas costas, incluindo a estenose do canal vertebral e do forame de conjugação.


Espondilolistese degenerativa

Alterações devido ao envelhecimento e desgaste tornam difícil para as articulações e para os ligamentos manter as costas na posição correta. O movimento das vértebras maior do que o normal pode provocar o deslizamento para frente de uma vértebra sobre a outra. Se elas deslizam demais, começam a pressionar os nervos espinhais.


Estenose espinal

Estenose espinal ocorre quando o espaço ao redor da medula espinhal é reduzido e coloca pressão sobre a medula espinhal e sobre os nervos espinhais.



Quando os discos intervertebrais entram em colapso desenvolve-se a artrose. O corpo vertebral pode reagir com o crescimento de osso novo na sua faceta articular para ajudar a suportar as vértebras. 

Com o tempo, este crescimento - chamado “esporão” - pode causar um estreitamento do canal espinhal. Osteoartrite pode também fazer com que os ligamentos que ligam as vértebras aumentem a sua espessura, fazendo com que o canal vertebral se estreite.


Escoliose

Esta é a curvatura anormal da coluna vertebral que pode se desenvolver em crianças, na maioria das vezes durante a adolescência. A curva lateral anormal da coluna também pode ocorrer em doentes com artrose. A deformidade da coluna vertebral pode causar sintomas de dor na perna e, possivelmente, se houver pressão sobre os nervos.

Causas adicionais
Existem outras causas de dor lombar, algumas das quais podem ser graves. Se houver uma doença vascular ou hematológica (no sangue), se houver uma história de câncer ou dor sempre presente, apesar de seu nível de atividade, você deve consultar o seu médico.

Os sintomas A dor nas costas varia. Pode ser intensa ou latejante. Pode ser uma dor surda, fixa ou sentir como se fosse um espasmo muscular. O tipo de dor que você tem depende da causa subjacente da sua dor nas costas.
A maioria das pessoas acha que quando em repouso ou deitada a dor nas costas melhora independentemente da causa subjacente.

Pessoas que sofrem de dor lombar pode experimentar qualquer uma das seguintes situações:

• A dor lombar se intensifica quando se inclina para frente ou se levanta um objeto.
• Sentar pode agravar a dor.
• Em pé ou caminhar pode agravar a dor.
• A dor nas costas vem e vai, e geralmente segue um curso de altos e baixos com dias bons e ruins.
• A dor pode estender-se desde a parte de trás ou na nádega do lado de fora da bacia, sem se estender para a perna.
• A dor ciática é comum com uma hérnia de disco. Isso inclui a dor na nádega e perna e até mesmo dormência, formigamento ou fraqueza que continua até o pé. Você pode sofrer de ciática sem dor nas costas.

Independentemente da sua idade ou seus sintomas, se sua dor nas costas não melhorar dentro de algumas semanas, ou está acompanhada de febre, calafrios, ou súbita perda de peso, você deve consultar o seu médico.

Lombalgias - Testes e diagnóstico

História e exame físico
Depois de discutir os seus sintomas e a sua história, o seu médico irá examiná-lo. Isso inclui a inspeção do seu corpo e a palpação de determinadas regiões anatômicas. O seu médico poderá fazê-lo inclinar-se para a frente, para trás e para os lados para observar as limitações de movimento e o aparecimento de dor.
O seu médico pode testar a função dos nervos em suas pernas. Isto inclui a verificação dos reflexos neurológicos do seu joelho e do tornozelo, bem como testes de força muscular e de sensibilidade. Seu médico saberpa, então, se os seus nervos estão gravemente afetados.

Os exames de imagem
Outros exames que podem ajudar o seu médico a confirmar o diagnóstico incluem:

Radiografias
Embora um simples Raio-x mostre os ossos exibidos, pode apenas ajudar a determinar se você tem as causas mais evidentes de dor nas costas. Mostra ossos quebrados, alterações de envelhecimento, curvas ou deformidades. Os raios X não mostram os discos, os músculos e os nervos.

Imagem por Ressonância Magnética (IRM)
Este estudo pode criar melhores imagens dos tecidos moles, como músculos, nervos ou discos da coluna vertebral. Condições como a hérnia de disco ou infecção são mais visíveis em uma imagem de ressonância magnética.

Teste de densidade óssea
 Se a osteoporose é uma preocupação, o seu médico pode pedir um teste de densidade óssea (densitometria óssea). A osteoporose enfraquece os ossos, que podem quebrar facilmente. A Osteoporose em si não causa dor nas costas, mas as fraturas da coluna vertebral podem fazê-lo.

Tratamento

Em geral, o tratamento para a dor lombar cai em uma das três categorias: medicamentos, fisioterapia e cirurgia.

O tratamento não cirúrgico

Drogas. Vários medicamentos são usados ​​para ajudar a aliviar sua dor.
• A aspirina (ácido acetil-salicílico) ou paracetamol podem aliviar sua dor com poucos efeitos colaterais.
• antiinflamatórios não-esteróides (AINEs), como o ibuprofeno ou naproxeno reduzem a dor e a inflamação.
• analgésicos narcóticos como a codeína e a morfina podem ajudar.
• Os esteróides por via oral ou injetados na sua espinha, proporcionam uma alta dose de anti-inflamatórios.

Fisiatria
A lombalgia pode ser incapacitante. Medicamentos e tratamentos combinados frequentemente aliviam a dor de modo que você pode fazer todas as coisas que você quer fazer.

Fisioterapia
• pode incluir modalidades passivas, tais como calor, gelo, massagem, ultras-som, ou estimulação elétrica. Terapia ativa pode ser benéfica para o alívio da dor. Consistem em alongamento, musculação e exercício para restaurar o movimento e a força de sua região lombar.
. órteses são usadas ​​com freqüência. A cinta lombar mais comum é um espartilho que pode ser colocado em torno da cintura e do estômago. As órteses não são sempre benéficas, mas as pessoas relatam que se sentem mais confortáveis ​​e estáveis ​​com o seu uso.
• quiropraxia ou terapia de manipulação é feita de várias maneiras. Alguns pacientes encontram alívio de dores nas costas com estes tratamentos.
• tração lombar é frequentemente utilizada, mas não há nenhuma evidência científica de sua eficácia.
• outros programas com base no exercício, como Pilates ou yoga são benéficos para alguns pacientes.

Tratamento Cirúrgico

A cirurgia para dor lombar deve ser considerada apenas quando as opções de tratamento não cirúrgico não melhoram os sintomas. É melhor tentar as opções não cirúrgicas de seis meses a um ano, antes de considerar a cirurgia.
Além disso, a cirurgia deve ser considerada apenas se o seu médico pode identificar a causa de sua dor.

A cirurgia é a opção de tratamento para "quando tudo falhar".
Alguns pacientes são candidatos à cirurgia, apesar de sofrerem dor significativa e dos outros tratamentos não funcionarem. Alguns tipos de dor crônica nas costas simplesmente não podem ser tratados com cirurgia.

Fusão espinhal

Este processo é, essencialmente, uma "soldadura". A idéia básica é a de fundir as vértebras dolorosas para fundir em um único bloco de osso.
A fusão vertebral elimina o movimento entre os segmentos vertebrais. É uma opção quando o movimento é a causa da dor. Por exemplo, o médico pode recomendar uma fusão espinhal se você tiver instabilidade da coluna, curvatura anormal (escoliose), ou degeneração grave de um ou mais de seus discos interveretebrais. Se os segmentos vertebrais ao se movimentarem não causam dor, não se deve operar.
A fusão das vértebras na coluna vertebral lombar foi conduzida ao longo de décadas. Muitas técnicas cirúrgicas evoluíram. Na maioria dos casos, usa-se um enxerto ósseo para fundir as vértebras. Os parafusos interpediculares, os fios metáçicos ou um cilíndro metálico é usado para manter a coluna estabilizada, enquanto o enxerto de osso se integra.

A cirurgia pode ser feita através de seu abdome, por via lateral, por via posterior ou por uma combinação destas abordagens. Existe até um procedimento realizado através de um pequeno orifício adjacente ao cóccix. Nenhum procedimento provou ser melhor do que o outro.

Os resultados da fusão vertebral para aliviar a dor lombar variam. A fusão vertebral pode ser muito eficaz na eliminação da dor.
A recuperação completa pode levar mais de um ano.

Substituição do disco

Este procedimento envolve a remoção do disco e a sua substituição por peças artificiais, como se faz na prótese total de joelho ou na artroplastia de substituição total do quadril.
A substituição do disco intervertebral permite o alinhamento do segmento vertebral para manter certa flexibilidade e movimento normal da coluna.
A cirurgia é realizada através do abdome, geralmente nos dois últimos discos intervertebrais (L4-L5 e L5-S1) da coluna vertebral.

Prevenção

Pode não ser possível evitar a dor lombar. Não podemos evitar o desgaste de nossas colunas que acontece ao longo dos anos. No entanto, há coisas que podemos fazer para reduzir o impacto de problemas nas costas. Ter um estilo de vida saudável é um bom começo.

Exercitar
Combinar exercícios aeróbicos, como a caminhada ou natação, com exercícios específicos para manter os músculos das suas costas e do abdome fortes e flexíveis.

Levantar corretamente
Certifique-se de erguer os objetos pesados ​​com os joelhos flexionadas, e não com os joelhos estendidos e a coluna fletida. Não se incline para frente para erguer alguma coisa. Mantenha as costas retas e dobre os seus joelhos.

O peso corporal

Mantenha um peso corporal saudável. Estar acima do peso coloca sobrecarrega mais a região lombar.

Evite fumar
Tanto o fumo quanto a nicotina provocam o envelhecimento da sua coluna mais rápido do que o normal.

Postura adequada A boa postura é importante para evitar problemas futuros. Um terapêuta pode ensiná-lo a ficar de pé, sentar-se e erguer objetos de forma segura.
Nunca levante peso acima de 23 quilos (limite estabelecido pelo NIOSH).


Nenhum comentário:

Postar um comentário