Marcadores

acessos (3) Acidentes (3) Anatomia (4) Articulações (4) Artralgia (1) Artrite (11) Artroscopia (1) Artrose (3) Atrofia muscular espinhal (1) Aula (1) Avaliação (3) Backhand (1) bioimpressora (1) Bursite (1) cartilage (1) Cartilagem (2) Cervical (2) Ciclistas (1) Cifose de Scheuermann (1) cinesiologia (2) cirurgia (1) claudicante (1) CMT (1) Cobb (1) Coluna Lombar (3) Coluna Toráxica (1) Coluna Vertebral (4) Corpo Humano (7) Cotovelo (2) criança (1) Crônica (1) Curiosidades (4) Dedo em Gatilho (3) Degenerativa (1) Descobertas (1) Diabetes (3) diabética (2) Diagnóstico (11) Dicionário (1) Diconário (1) Dissecação (1) Distensão (1) Doença (13) Dor (6) Dupuytren (1) Edital (1) Elliot Krane (1) esclerose múltipla (1) Escoliose (2) Espondilite (2) Espondilolistese (2) Espondilose (2) Estiloide (1) Estudo (2) Eventos (2) exame clínico (6) Exame físico (11) Exosesqueleto (1) Fêmur (1) Fibromialgia (1) Finkelstein (1) fixadores (1) flexores (1) Forehand (1) Fratura (6) Gessado (1) Glasgow (1) Gota (1) Hérnia de Disco (1) impressão 3D (1) Inflamação (1) Joelho (12) knee (5) Lasègue (1) Lesões (11) Lombalgia (1) Lombar (2) Manual (1) mão (5) marcha anormal (1) Medicina (6) Médico-Paciente (2) Mellitus (1) membros inferiores (4) Membros Superiores (2) motor (1) Movimento (3) Mulher (1) Musculoesquelética (3) Músculos (2) Nervo (5) Neurológico (2) Neurônio (1) Ombro (4) órgãos (1) ortopedia (2) Ortopédico (3) Óssos (4) Osteoartrite (4) Osteocondrite dissecantes (1) Osteocondrose (1) osteomielite (2) Osteonecrose (1) osteoporose (2) Paralisia Cerebral (2) (7) pé torto congênito (1) Perna (3) Pérolas Clínicas (1) Perthes (1) Poliartrite (2) Postura médica (1) Prognóstico (1) prótese (3) Psoríase (1) Quadril (2) questões resolvidas (2) Recém Nascido (1) Relação (1) Reumáticas (3) Reumatóide (3) RN (1) SBOT (2) Schober (1) Sensitivas (1) Tecnologia (2) tendão (2) tendinite (3) Tenossinovite (1) TEOT (1) Testes (11) Tornozelo (2) Tratamento (4) trauma (2) Trendelenburg (1) Trigger Finger (1) Tumores (1) Túnel do Carpo (2) Ulnar (1) Úmero (1) vídeo (7) Vila Olímpica (1)

sexta-feira, 13 de maio de 2016

Desigualdade no comprimento dos membros inferiores

Segundo a Sociedade de Reconstrução e Alongamento dos Membros e a Sociedade Pediátrica Ortopédica da Améica do Norte, as diferenças entre os comprimentos dos membros superiores e/ou inferiores são chamadas de desigualdades de comprimento dos membros.

Exceto em casos extremos, as diferenças de comprimento dos membros superiores causam pouco ou nenhum problema como a função dos braços. Portanto, este artigo versará sobre as diferenças de comprimento nos membros inferiores (nas pernas).

Incidência
Uma diferença de comprimento dos membros pode ser simplesmente uma variação leve entre os dois lados do corpo. Isso não é raro na população geral. Por exemplo, um estudo relatou que 32 por cento de 600 recrutas militares tinha uma polegada* de 1/5 a uma diferença de 3/5 de polegadas entre os comprimentos de suas pernas. Esta é uma variação normal. Diferenças maiores podem necessitar de tratamento, porque uma diferença significativa pode afetar o bem-estar e a qualidade de vida do paciente.
*Uma polegada possui 2,54 centímetros.

Causa
Existem muitas causas de discrepância de comprimento dos membros. Algumas incluem:

Lesão anterior de um osso da perna
Um osso de perna fraturada pode levar à uma discrepância de comprimento dos membros, se a fratura cura em posição encurtada. Isso é mais provável se o osso foi fraturado em muitos fragmentos. Também é mais provável se a pele e o tecido muscular ao redor do osso foram gravemente traumatizados, e, o osso foi exposto, como numa fratura aberta.
Ossos fraturados em crianças, às vezes, crescem mais rápidos, durante vários anos, após a sua consolidação. Uma ruptura no osso da criança através do centro de ossificação próximo à epífise de crescimento, pode causar um crescimento mais lento, resultando em uma perna mais curta.

Infecção óssea
Infecções ósseas que ocorrem em crianças, enquanto elas estão crescendo, podem causar uma discrepância significativa no comprimento dos membros. Isto é especialmente verdadeiro se a infecção acontece na infância. Inflamação das articulações durante o crescimento pode causar comprimento desigual nas pernas. Um exemplo é a artrite reumatóide juvenil.

Doenças ósseas (displasias)
Doenças ósseas também podem causar discrepância de comprimento dos membros. São exemplos:

  • Neurofibromatose
  • Exostose hereditária múltipla
  • Doença de Ollier


Outras causas
Outras causas incluem condições neurológicas e inflamação (artrite).
Às vezes, a causa da discrepância de comprimento dos membros é desconhecida, particularmente, nos casos de subdesenvolvimento no lado interno ou externo da perna, ou supercrescimento parcial de um lado do corpo. Estas condições geralmente estão presentes no nascimento, mas a diferença de comprimento de perna pode ser muito pequena para ser detectada. Quando a criança cresce, a discrepância de comprimento dos membros aumenta e se torna mais perceptível.
No subdesenvolvimento, um dos dois ossos, tíbia ou fíbula, é anormalmente curto. Também pode haver problemas relacionados ao pé ou ao joelho.



Hemi-hipertrofia (um lado muito grande) ou hemiatrofia (um lado muito pequeno) são condições raras de desigualdade de comprimento dos membros. Nestas condições, o braço e a perna de um lado do corpo são mais longos ou mais curtos que o braço e perna do lado oposto do corpo. Também pode haver uma diferença entre os dois lados do rosto. Às vezes, nenhuma causa pode ser encontrada. Isso é conhecido como uma diferença de comprimento "idiopática".

Diagnóstico

A desigualdade no comprimento dos membros pode ser medida durante um exame físico e através de raios-x.






Geralmente, o médico observa o nivelamento das espinhas ilíacas ântero-superiores (da pelve), quando a criança está de pé e descalça. Uma série de blocos de madeira, com alturas medidas em centímetros, pode ser colocada sob a perna curta até que a pelve fique nivelada. Se o examinador acredita que é necessária uma medida mais precisa, ele pode usar raios-x (escanometria dos membros inferiores). Nas crianças em crescimento, um médico pode repetir o exame físico e as radiografias a cada seis meses a um ano para ver se a discrepância de comprimento dos membros inferiores aumentou ou permaneceu inalterada.

Uma discrepância de comprimento dos membros pode ser detectada em um exame de rastreio para a curvatura da coluna vertebral (escoliose). Mas a discrepância de comprimento dos membros inferiores não causa escoliose.

Sintomas
Os efeitos da discrepância de comprimento dos membros variam de paciente para paciente, dependendo da causa e do tamanho da diferença.  Diferenças de 3,5% a 4% do comprimento total da perna (cerca de 4 cm ou 2 de 1/3 polegadas em um adulto médio) podem causar anormalidades visíveis ao caminhar. Estas diferenças podem exigir que o paciente se esforce mais para caminhar.

Por isso, existe uma controvérsia sobre o efeito da discrepância de comprimento dos membros sobre dor nas costas (lombalgia). Alguns estudos mostram que pessoas com uma discrepância de comprimento dos membros inferiores têm uma maior incidência de dor lombar e um aumento da suscetibilidade a lesões. Outros estudos não suportam esta conclusão.


Fonte: - Sociedade de reconstrução e alongamento dos membros e Sociedade Pediátrica Ortopédica da Améica do Norte.

Nota:- Esta informação é fornecida como um serviço educacional e não se destina a servir como conselho médico. Quem procura aconselhamento ortopédico ou assistência deve consultar o seu cirurgião ortopédico.
http://www.microsofttranslator.com/static/180700/img/tooltip_logo.gifhttp://www.microsofttranslator.com/static/180700/img/tooltip_close.gif
Original
Limb Length Discrepancy







Nenhum comentário:

Postar um comentário