Marcadores

acessos (4) Acidentes (3) Anatomia (4) Articulações (4) Artralgia (1) Artrite (11) Artroscopia (1) Artrose (3) Atrofia muscular espinhal (1) Aula (1) Avaliação (3) Backhand (1) bioimpressora (1) Bursite (1) cartilage (1) Cartilagem (2) Cervical (2) Ciclistas (1) Cifose de Scheuermann (1) cinesiologia (2) cirurgia (2) claudicante (1) CMT (1) Cobb (1) Coluna Lombar (3) Coluna Toráxica (1) Coluna Vertebral (4) Corpo Humano (8) Cotovelo (2) criança (1) Crônica (1) Curiosidades (4) Dedo em Gatilho (3) Degenerativa (1) Descobertas (1) Diabetes (3) diabética (2) Diagnóstico (12) Dicionário (1) Diconário (1) Dissecação (1) Distensão (1) Doença (13) Dor (6) Dupuytren (1) Edital (1) Elliot Krane (1) esclerose múltipla (1) Escoliose (2) Espondilite (2) Espondilolistese (2) Espondilose (2) Estiloide (1) Estudo (2) Eventos (2) exame clínico (7) Exame físico (12) Exosesqueleto (1) Fêmur (1) Fibromialgia (1) Finkelstein (1) fixadores (1) flexores (1) Forehand (1) Fratura (7) Gessado (1) Glasgow (1) Gota (1) Hérnia de Disco (1) impressão 3D (1) Inflamação (1) Joelho (12) knee (5) Lasègue (1) Lesões (11) Lombalgia (1) Lombar (2) Manguito Rotador (1) Manual (1) mão (5) marcha anormal (1) Medicina (6) Médico-Paciente (2) Mellitus (1) membros inferiores (4) Membros Superiores (2) motor (1) Movimento (3) Mulher (1) Musculoesquelética (3) Músculos (2) Nervo (5) Neurológico (2) Neurônio (1) Ombro (6) órgãos (1) ortopedia (2) Ortopédico (3) Óssos (4) Osteoartrite (4) Osteocondrite dissecantes (1) Osteocondrose (1) osteomielite (2) Osteonecrose (1) osteoporose (2) Paralisia Cerebral (2) (7) pé torto congênito (1) Perna (3) Pérolas Clínicas (1) Perthes (1) Phallen (1) Poliartrite (2) Postura (1) Postura médica (1) Prognóstico (1) prótese (3) Psoríase (1) Quadril (2) questões resolvidas (2) Recém Nascido (1) Relação (1) Reumáticas (3) Reumatóide (3) RN (1) SBOT (2) Schober (1) Sensitivas (1) Tecnologia (3) tendão (2) tendinite (3) Tenossinovite (1) TEOT (1) Testes (14) Tornozelo (2) Tratamento (4) trauma (2) Trendelenburg (1) Trigger Finger (1) Tumores (1) Túnel do Carpo (2) Ulnar (1) Úmero (1) vídeo (8) Vila Olímpica (1)

quarta-feira, 25 de maio de 2016

ARTRITE SÉPTICA- Generalidades



Conceito

A artrite séptica vai acontecer da seguinte forma: você vai ter uma infecção bacteriana, ela vai ser causada por bactérias piogênicas, infecção produtora de secreção purulenta. É uma emergência no pronto-socorro. Não é um assunto que somente o ortopedista tem que saber; geralmente quem reconhece isso aqui é o pediatra, que vai encaminhar para o ortopedista para que seja feito o tratamento.

Epidemiologia

A artrite séptica vai acometer todas as idades, desde o prematuro até 9/10 anos de idade, porém a maior freqüência é de 1 a 2 anos de idade. E o RN prematuro é mais suscetível, por questão de defesa mesmo. Acomete todas as faixas etárias, guardem isso!! Até mesmo em adultos podemos ver essa patologia, teoricamente. Várias vezes eu já vi acontecer até por punção articular simples, devido a uma assepsia pouco cuidadosa que leva uma infecção lá para dentro (iatrogenia). É duas vezes mais freqüente no sexo masculino, mas isso não quer dizer muita coisa, pq temos que investigar todo mundo. A articulação do quadril é a mais envolvida.

Organismos etiológicos

- Você pode ter também infecções atípicas, estas até podem acontecer no prematuro, ou então com outras doenças associadas, com HIV, etc, mas o usual é o que eu vou mostrar aqui.
- RN: Staphylococcus aureus. Mais de 60%.
- De 01 mês a 03 anos: Haemophylus influenza é o mais freqüente, seguido de Staphylococcus e Streptococcus.
- Maior de 03 anos: Staphylococcus aureus e Streptococcus.
- Em recém nascido e criança acima de 03 anos, é mais ou menos a mesma incidência de microorganismo.


Quadro clínico

- Dor. A maior queixa que a mãe vai ter é que a criança está com dor, está mancando, febre alta, essas coisas. Mas o RN não vai apresentar quase nada disso, você tem uma defesa muito pequena, com uma contratura em flexão do quadril que você tem que sustentar. RN muitas vezes não vai te dar tanta informação assim, o sistema imune dele não vai ser preparado pra ter tanta defesa.
- Marcha antálgica: a criança vai estar mancando
- Irritabilidade
- Desidratação
- Anorexia e perda de peso
- Febre. Geralmente até superior a 40 graus, o usual é isso, a criança vai estar toxêmica.
- Derrame articular e sinais flogísticos.
- Contratura muscular.
- Pseudoparalisia.
Ela não mexe, ela não se movimenta. Automaticamente se movimentar dói.


Diagnóstico

- Se eu tenho clínica importante, exame laboratorial e radiológico, o que vou fazer agora é aspirar a articulação com agulha. Vou observar o líquido, o primeiro a se fazer é a inspeção. Se for secreção purulenta, vou fazer uma análise laboratorial, fazer uma bacterioscopia, faz esfregaço, gram, cultura. Só vai dar positivo em 30% dos casos. Mais um problema para nós. Cultura para você aguardar o crescimento da bactéria para vc identificar, dependendo do tipo de bactéria que crescer você vai ter um tipo de antibiótico específico, mas isso demora alguns dias, mas não vou esperar para entrar com o antibiótico. Pela faixa etária, vou ver o tipo de microorganismo mais freqüente e vou entrar com aquele antibióico.
- Leucocitose. Eu posso ter um aumento na contagem de leucócitos no líquido sinovial. 90% ou mais de polimorfonucleares. Redução dos níveis de glicose no líquido sinovial de 50 ml em relação à glicemia.


Exame de Imagem

- RX: distensão da cápsula articular com subluxação ou luxação. Então você vai ver um espaço articular alargado. Nem sempre vou ver isso. O certo é fazer o diagnóstico precoce, eu não posso deixar chegar nessa alteração! Se chegar nisso fica fácil de eu ver. O tratamento tem que ser precoce, pq isso aqui é urgente.
- US: muitas vezes você faz US para mostrar líquido na cavidade. Só que esse líquido pode ser uma secreção purulenta. Ele pode ser reacional. Eu posso ter uma osteomielite no meu fêmur e, por ser a metáfise intrarticular, produz líquido sinovial, mas eu punciono e é estéril. Então é um somatório e bom senso.
- Cintilografia: tem alta sensibilidade e baixa especificidade. Detecção precoce.
- TC e RM vão ser úteis pra mim na sequela, já deu problema. A infecção já virou osteomielite, ou já deu problema na cabeça do fêmur, etc. Eu quero ver a extensão dessa lesão. Isso é adicional, o diagnóstico é mais clínico.


Diagnóstico diferencial

Clínica, laboratorial e de imagem muito parecidos com artrite séptica.
- Osteomielite
- Artrite reumatóide, caso seja monoarticular. O número de polimorfonucleares é bem menor, não tem aspecto de pus, posso ter depósito de cristal.
- Sinovite transitória. É o mais freqüente. A criança chega mancando, tá com defesa, tá com flexão do quadril. Já tem uns 2 ou 3 dias, febre não muito alta, dor, calor, tá com atividade inflamatória mas não é infecção. Você observa a criança e de 1 dia para o outro ela melhora, eu só sei que é transitória na hora que eu mandar ela para casa bem. Então uma sinovite transitória, até que se prove o contrário, pode ser uma artrite séptica.
- Celulite, que é um processo inflamatório, infeccioso. É superficial, pega o subcutâneo.
- Artrite hemofílica: um derrame articular, problema na cascata de coagulação da criança. Não é tão freqüente.
- Psoíte. Eu posso ter contraturas em flexão ou atividade inflamatória simples do músculo psoas, que tem origem na coluna lombar e inserção no fêmur proximal.
- Abscessos retro-peritoneais.
- Febre reumática. Em várias articulações. Tem caráter migratório.





Nenhum comentário:

Postar um comentário